quinta-feira, 22 de novembro de 2018

Relato do Encontro Cinepós: Um Conto Chinês


No dia 26 de outubro aconteceu junto aos alunos da Universidade da Terceira Idade (Uniso) o encontro do projeto Cinepós.

Com o objetivo de transpor os muros acadêmicos, proporcionando a divulgação científica desenvolvida na Universidade de Sorocaba, o projeto é uma iniciativa da Profa. Dra. Maria Ogécia Drigo, Profa. Dra. Míriam Cristina Carlos Silva e Prof. Dr. José Rodrigo Fontanari.
O encontro foi mediado pela Profa. Dra. Míriam Cristina Carlos Silva, que iniciou sua fala explicando a proposta do projeto, instigando uma sala cheia de olhares atentos sobre as questões e relações entre as narrativas fílmicas e a comunicação.
Explicando o conceito de comunicação como processo de transformação (Ciro Marcondes Filho) e como processo que envolve afeto e vínculo (Norval Baitello Junior), Míriam sugeriu aos presentes que observassem três questões na narrativa fílmica: a comunicação, a solidão e o vínculo.
O público presente no Campus Seminário teve a oportunidade de assistir a Um Conto Chinês, produção argentina de 2011, que narra a vida do solitário e ranzinza vendedor de ferramentas, parafusos e pregos, Roberto (Ricardo Darín).
Roberto segue com sua vida e manias até o dia em que vê um jovem chinês ser jogado para fora de um táxi. Mesmo contrariado decide auxiliar o rapaz que desesperado desata a falar em chinês.

Cena do encontro entre os personagens Jun e Roberto
Não compreendendo absolutamente nada, Roberto decide levar Jun (Ignacio Huanga) até a delegacia. Após se desentender com o guarda leva o rapaz para sua casa, o que promove uma série de transformações em seu cotidiano e na vida de ambos.
O encontro inesperado com o estrangeiro obriga Roberto, que vive em função do passado, a olhar para o mundo de maneira diferente.
Apesar da barreira gerada pelas culturas diferentes, os personagens afetam a vida um do outro. A partir do encontro surge, para ambos os personagens, a chance de um recomeço.
Após o término do filme aconteceu uma roda de conversa sobre as situações que mais chamaram a atenção do público.
A professora Míriam apontou que as narrativas fílmicas podem auxiliar a olhar para o “real” com outros olhos, possibilitando um olhar mais ampliado e mais crítico.
Respondendo sobre as questões envolvendo a comunicação, a solidão e o vínculo os participantes do encontro fizeram comparações entre as narrativas do filme e as narrativas de suas vidas. Como afirmou Míriam, o fato de tantas narrativas surgirem entre os presentes sugere que a produção cinematográfica Um Conto Chinês afetou e comunicou. Pois a narrativa quando comunica, vincula e faz as memórias voltarem.
Em 2019, o Cinepós promoverá novos encontros buscando o diálogo entre a comunidade e a universidade. 


Por Vanessa Heidemann

Nenhum comentário:

Postar um comentário