quarta-feira, 17 de junho de 2015

O método etnográfico é tema de palestra do NAMI


Curiosa a vida: a novela O Rei do Gado está sendo reprisada no Vale a Pena Ver de Novo, da Rede Globo. E o que isso tem a ver com a palestra ministrada no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura da Universidade de Sorocaba (Uniso) pelo Prof. Dr. Antonio La Pastina, da Texas A&M University nos Estados Unidos?

Macambira, planta típica da caatinga
Tudo. É que era justamente a telenovela O Rei do Gado que estava sendo transmitida pela primeira vez quando La Pastina foi desenvolver, em 1996, por 13 meses, sua primeira pesquisa etnográfica de recepção de telenovelas numa cidade no interior do Rio Grande do Norte, batizada pelo professor, poética e carinhosamente, de Macambira. Para quem é da cidade grande, Macambira é uma bromélia típica do sertão nordestino.

Contando sobre a relação de pesquisa que mantém com a comunidade de Macambira até hoje (a última vez que lá esteve foi em 2012), La Pastina foi ensinando sobre o fazer etnográfico – que demanda do pesquisador dedicação emocional e de tempo, pois a convivência no campo e a compreensão são de longo prazo. Demanda também a criação de uma determinada rotina, o rigoroso registro das anotações e o posicionamento ético diante das pessoas, além de sensibilidade e muita reflexão para compreender os nexos e os sentidos da comunidade na recepção de um produto midiático. Como se sabe, a telenovela é a narrativa por excelência brasileira, pela qual somos reconhecidos no país e no exterior.

Além de conhecimento, a rica e detalhada aula transmitiu aos ouvintes a essência de toda e qualquer pesquisa bem realizada: paixão pelo que se faz e a sabedoria de que nada, nunca, pode ser generalizado ou descartado a bel-prazer.

A atividade aconteceu em 15 de junho de 2015 e foi parte integrante da Disciplina de Narrativas Midiáticas, conduzida pelas professoras doutoras Miriam Cristina Carlos Silva e Monica Martinez, e dos estudos do Nami − Grupo de Pesquisa em Narrativas Midiáticas - liderado por elas e composto ainda  pela professora Tarcyanie Cajueiro, entre outros pesquisadores.

Texto: Isabella Reis
Fotografia: William Welbert

Nenhum comentário:

Postar um comentário